Morre o ator João Carlos Barroso aos 69 anos, famosos e familiares lamentam e dão adeus

13/08/2019 14h35

Morre o ator João Carlos Barroso aos 69 anos, famosos e familiares lamentam e dão adeus.
Imagem: DivulgaçãoClique para ampliarJoão Carlos Barroso(Imagem:Divulgação)
A morte do ator João Carlos Barroso, carinhosamente apelidado de Barrosinho, na noite de segunda-feira (12), foi lamentada por amigos e famosos nas redes sociais. O ator, de 69 anos, lutava contra um câncer no pâncreas e estava hospitalizado no Rio de Janeiro, sua cidade natal.

"Ele estava hospitalizado e foi operado na semana passada para a retirada de um câncer no pâncreas. Infelizmente, teve complicações no pós-operatório e, após uma nova cirurgia, não resistiu",
afirmou Sylvia Barroso, sobrinha do ator, para QUEM na manhã desta terça-feira (13). As informações de velório e sepultamente ainda não foram divulgadas.

Entre os papéis mais populares de Barroso estão o Tavico de Estúpido Cupido (1976), que marcou sua estreia na TV, e o Toninho Jiló da novela Roque Santeiro (1985). O seu trabalho mais recente foi em 2016, na novela Sol Nascente, em que interpretou o delegado Mesquita.

Barroso também ficou marcado pelo trabalho no programa Zorra Total, entre 2002 e 2016, participando de diversas esquetes com diferentes personagens. Ele também havia passado pelo humorístico em 1999, mas se desligou da atração para atuar nas novelas Uga Uga (2000), Malhação (2001) e O Clone (2001). Outro papel de destaque na carreira do ator foi o do presidente Tancredo Neves na minissérie JK (2006).

O ator, que viveu parte da infância no bairro do Leme, no Rio, foi descoberto totalmente por acaso. Aos 11 anos, ele estava jogando futebol em Copacabana quando produtores o chamaram para trabalhar em uma coprodução do Brasil com a Argentina. Em uma das primeiras cenas, João contracenou com Jardel Filho e Francisco Cuoco.

Depois, entrou para o teatro onde conheceu Fernanda Montenegro. Na primeira novela em cores da TV brasileira, O Bem Amado (1973), interpretou Eustórgio, o filho de Zeca Diabo, papel de Lima Duarte. A parceria deu tão certo que João também esteve ao lado de Lima em Pecado Capital (1975) e Marron Glacê (1978).

Imagem: DivulgaçãoClique para ampliarJoão Carlos Barroso(Imagem:Divulgação)
A morte do ator João Carlos Barroso, carinhosamente apelidado de Barrosinho, na noite de segunda-feira (12), foi lamentada por amigos e famosos nas redes sociais. O ator, de 69 anos, lutava contra um câncer no pâncreas e estava hospitalizado no Rio de Janeiro, sua cidade natal.

"Ele estava hospitalizado e foi operado na semana passada para a retirada de um câncer no pâncreas. Infelizmente, teve complicações no pós-operatório e, após uma nova cirurgia, não resistiu",
afirmou Sylvia Barroso, sobrinha do ator, para QUEM na manhã desta terça-feira (13). As informações de velório e sepultamente ainda não foram divulgadas.

Entre os papéis mais populares de Barroso estão o Tavico de Estúpido Cupido (1976), que marcou sua estreia na TV, e o Toninho Jiló da novela Roque Santeiro (1985). O seu trabalho mais recente foi em 2016, na novela Sol Nascente, em que interpretou o delegado Mesquita.

Barroso também ficou marcado pelo trabalho no programa Zorra Total, entre 2002 e 2016, participando de diversas esquetes com diferentes personagens. Ele também havia passado pelo humorístico em 1999, mas se desligou da atração para atuar nas novelas Uga Uga (2000), Malhação (2001) e O Clone (2001). Outro papel de destaque na carreira do ator foi o do presidente Tancredo Neves na minissérie JK (2006).

O ator, que viveu parte da infância no bairro do Leme, no Rio, foi descoberto totalmente por acaso. Aos 11 anos, ele estava jogando futebol em Copacabana quando produtores o chamaram para trabalhar em uma coprodução do Brasil com a Argentina. Em uma das primeiras cenas, João contracenou com Jardel Filho e Francisco Cuoco.

Depois, entrou para o teatro onde conheceu Fernanda Montenegro. Na primeira novela em cores da TV brasileira, O Bem Amado (1973), interpretou Eustórgio, o filho de Zeca Diabo, papel de Lima Duarte. A parceria deu tão certo que João também esteve ao lado de Lima em Pecado Capital (1975) e Marron Glacê (1978).


Fonte O Globo

Tópicos: novela, ator, barroso