O sorriso de Mona Lisa não seria "sincero", afirmam especialistas

11/06/2019 14h13

O sorriso de Mona Lisa não seria "sincero", afirmam especialistas.
Estudado por pesquisadores e artistas nos últimos séculos, o sorriso presente na obra Mona Lisa ainda intriga os especialistas: afinal, qual era a intenção de Leonardo Da Vinci ao retratar aquela enigmática expressão em sua pintura? De acordo com um estudo recente, tal sorriso não era uma expressão necessariamente de felicidade.

“De acordo com algumas teorias influentes da neuropsicologia da emoção, interpretamos o sorriso assimétrico da Mona Lisa como um sorriso notado quando a pessoa está mentindo”,
escreveram os autores da pesquisa.
Imagem: Leonardo da Vinci/Domínio PúblicoO famoso retrato de Mona Lisa(Imagem:Leonardo da Vinci/Domínio Público)O famoso retrato de Mona Lisa

A obra foi exposta a 42 voluntários, que deveriam classificar a expressão de Gioconda (especialistas afirmam que a modelo que inspirou Mona Lisa seria a jovem italiana Lisa del Giocondo) com base em seis emoções universais: felicidade, tristeza, raiva, nojo, desprezo e medo. Todos os voluntários concordaram que o lado esquerdo do sorriso é mais expressivo e feliz, enquanto o direito foi descrito como "sério", "enojado" e "triste".

Os autores também afirmam que não há ativação da musculatura da face superior, essencial no "sorriso de Duchenne". Essa expressão é usada para identificar uma expressão de felicidade genuína, descoberta pelo neurologista francês do século 19, Guillaume Duchenne.

Alguns especialistas acreditam que a assimetria seja resultado da perda de um dente, enquanto outra parcela aponta a fadiga como razão: "Considerando que é improvável que uma pessoa fique sentada imóvel genuinamente feliz, a explicação mais simples é que a Mona Lisa assimétrica seja a manifestação de um prazer falso — apesar de todos os esforços feitos pelos assistentes de Leonardo para manter as modelos felizes", escrevem os pesquisadores.
Imagem: Università la SapienzaA: A Mona Lisa de Leonardo da Vinci (Museu do Louvre, Paris). B: O rosto de Mona Lisa C: Imagem quimérica do lado esquerdo do sorriso de Mona Lisa. D: Imagem quimérica do lado dire(Imagem:Università la Sapienza)A: A Mona Lisa de Leonardo da Vinci (Museu do Louvre, Paris). B: O rosto de Mona Lisa C: Imagem quimérica do lado esquerdo do sorriso de Mona Lisa. D: Imagem quimérica do lado dire

De acordo com Lucia Ricciardi, coautora do estudo, a técnica pictórica do nuançado de Leonardo pode ser notada do lado esquerdo: "Ele ergueu o lábio da mulher ligeiramente, como se fosse pintar um sorriso", contou ao jornal italiano La Repubblica. Por conta disso, a equipe teoriza que, talvez, Da Vinci já soubesse identificar um sorriso verdadeiro três séculos antes dos relatos de Duchenne, e, por isso, "deliberadamente ilustrou um sorriso expressando de uma emoção não sentida".

Se a hipótese for verdadeira, os estudiosos acreditam que a feição pode esconder mensagens enigmáticas, como o fato de que o quadro seja na realidade um autorretrato ou a pintura da imagem de alguém que já morreu. "Acreditamos que aquela expressão tem um significado específico, e não seja resultado apenas de uma imperfeição física", afirmou Ricciardi.
Estudado por pesquisadores e artistas nos últimos séculos, o sorriso presente na obra Mona Lisa ainda intriga os especialistas: afinal, qual era a intenção de Leonardo Da Vinci ao retratar aquela enigmática expressão em sua pintura? De acordo com um estudo recente, tal sorriso não era uma expressão necessariamente de felicidade.

“De acordo com algumas teorias influentes da neuropsicologia da emoção, interpretamos o sorriso assimétrico da Mona Lisa como um sorriso notado quando a pessoa está mentindo”,
escreveram os autores da pesquisa.
Imagem: Leonardo da Vinci/Domínio PúblicoO famoso retrato de Mona Lisa(Imagem:Leonardo da Vinci/Domínio Público)O famoso retrato de Mona Lisa

A obra foi exposta a 42 voluntários, que deveriam classificar a expressão de Gioconda (especialistas afirmam que a modelo que inspirou Mona Lisa seria a jovem italiana Lisa del Giocondo) com base em seis emoções universais: felicidade, tristeza, raiva, nojo, desprezo e medo. Todos os voluntários concordaram que o lado esquerdo do sorriso é mais expressivo e feliz, enquanto o direito foi descrito como "sério", "enojado" e "triste".

Os autores também afirmam que não há ativação da musculatura da face superior, essencial no "sorriso de Duchenne". Essa expressão é usada para identificar uma expressão de felicidade genuína, descoberta pelo neurologista francês do século 19, Guillaume Duchenne.

Alguns especialistas acreditam que a assimetria seja resultado da perda de um dente, enquanto outra parcela aponta a fadiga como razão: "Considerando que é improvável que uma pessoa fique sentada imóvel genuinamente feliz, a explicação mais simples é que a Mona Lisa assimétrica seja a manifestação de um prazer falso — apesar de todos os esforços feitos pelos assistentes de Leonardo para manter as modelos felizes", escrevem os pesquisadores.
Imagem: Università la SapienzaA: A Mona Lisa de Leonardo da Vinci (Museu do Louvre, Paris). B: O rosto de Mona Lisa C: Imagem quimérica do lado esquerdo do sorriso de Mona Lisa. D: Imagem quimérica do lado dire(Imagem:Università la Sapienza)A: A Mona Lisa de Leonardo da Vinci (Museu do Louvre, Paris). B: O rosto de Mona Lisa C: Imagem quimérica do lado esquerdo do sorriso de Mona Lisa. D: Imagem quimérica do lado dire

De acordo com Lucia Ricciardi, coautora do estudo, a técnica pictórica do nuançado de Leonardo pode ser notada do lado esquerdo: "Ele ergueu o lábio da mulher ligeiramente, como se fosse pintar um sorriso", contou ao jornal italiano La Repubblica. Por conta disso, a equipe teoriza que, talvez, Da Vinci já soubesse identificar um sorriso verdadeiro três séculos antes dos relatos de Duchenne, e, por isso, "deliberadamente ilustrou um sorriso expressando de uma emoção não sentida".

Se a hipótese for verdadeira, os estudiosos acreditam que a feição pode esconder mensagens enigmáticas, como o fato de que o quadro seja na realidade um autorretrato ou a pintura da imagem de alguém que já morreu. "Acreditamos que aquela expressão tem um significado específico, e não seja resultado apenas de uma imperfeição física", afirmou Ricciardi.

Fonte Revista Galileu

Para ler mais notícias do FlorianoNews, clique em florianonews.com/noticias. Siga também o FlorianoNews no Twitter e no Facebook

Tópicos: leonardo, sorriso, mona lisa