Taylor Swift cria hino contra haters e pede paz na internet

15/06/2019 11h24

Taylor Swift cria hino contra haters e pede paz na internet.
Imagem: DivulgaçãoClique para ampliarTaylor Swift(Imagem:Divulgação)

Em vez de falar de si mesma, de seus ex-namorados e detratores, Taylor Swift bota seu poder de observação a serviço de outros temas em "You Need to Calm Down", lançada na sexta-feira (14).

No formidável segundo single do álbum "Lover", anunciado para 23 de agosto, a cantora americana versa sobre os perigos da internet, machismo, homofobia e haters em geral.

Como "ME" fazia supor, a nova música deixa claro que a nova era na carreira de Swift é mais colorida e menos egocêntrica.

Poderia ser o hino da internet, se ela fosse um país. A letra resume bem o sentimento de ódio, aquela revolta que todo mundo parece ter contra tudo. O tom geral é de desapontamento, mas há partes em que ela pede paz e calma.

"Controle seus impulsos para gritar sobre todas as pessoas que você odeia / Até porque shade nunca fez ninguém menos gay",
explica ela, citando a gíria para indiretas maldosas.

A defesa da comunidade LGBT também aparece em outro verso, em que ela canta: "Tem sol na rua na parada / Mas você prefere estar na idade das trevas".

Além da homofobia, ela também versa sobre a tentativa de alguns em criar rivalidades entre popstars, sobretudo as cantoras.

E na parte musical?

Musicalmente, a cantora de 29 anos também dá uma acalmada. "You Need to Calm Down" tem partes mais faladas, às vezes entoadas com certa pressa, na hora de cantar. Ela até se aproxima de rap fofo, como em momentos anteriores da carreira.

Mas o arranjo no geral é bem futurista do passado, com timbres que parecem retirados da trilha da série "Twin Peaks". Quem ajudou nessa escolha é o produtor Joel Little, tão neozelandês quanto Lorde, com quem já trabalhou.

É ele quem está do lado de Taylor nesta nova fase da cantora, que deve render outros singles antes do lançamento de "Lover".

Todos, provavelmente, menos soltos e ensimesmados do que a era "1989" e menos soturnos e reclamões do que a era "Reputation".

Imagem: DivulgaçãoClique para ampliarTaylor Swift(Imagem:Divulgação)

Em vez de falar de si mesma, de seus ex-namorados e detratores, Taylor Swift bota seu poder de observação a serviço de outros temas em "You Need to Calm Down", lançada na sexta-feira (14).

No formidável segundo single do álbum "Lover", anunciado para 23 de agosto, a cantora americana versa sobre os perigos da internet, machismo, homofobia e haters em geral.

Como "ME" fazia supor, a nova música deixa claro que a nova era na carreira de Swift é mais colorida e menos egocêntrica.

Poderia ser o hino da internet, se ela fosse um país. A letra resume bem o sentimento de ódio, aquela revolta que todo mundo parece ter contra tudo. O tom geral é de desapontamento, mas há partes em que ela pede paz e calma.

"Controle seus impulsos para gritar sobre todas as pessoas que você odeia / Até porque shade nunca fez ninguém menos gay",
explica ela, citando a gíria para indiretas maldosas.

A defesa da comunidade LGBT também aparece em outro verso, em que ela canta: "Tem sol na rua na parada / Mas você prefere estar na idade das trevas".

Além da homofobia, ela também versa sobre a tentativa de alguns em criar rivalidades entre popstars, sobretudo as cantoras.

E na parte musical?

Musicalmente, a cantora de 29 anos também dá uma acalmada. "You Need to Calm Down" tem partes mais faladas, às vezes entoadas com certa pressa, na hora de cantar. Ela até se aproxima de rap fofo, como em momentos anteriores da carreira.

Mas o arranjo no geral é bem futurista do passado, com timbres que parecem retirados da trilha da série "Twin Peaks". Quem ajudou nessa escolha é o produtor Joel Little, tão neozelandês quanto Lorde, com quem já trabalhou.

É ele quem está do lado de Taylor nesta nova fase da cantora, que deve render outros singles antes do lançamento de "Lover".

Todos, provavelmente, menos soltos e ensimesmados do que a era "1989" e menos soturnos e reclamões do que a era "Reputation".


Fonte G1

Confira as últimas notícias sobre Cultura: florianonews.com/cultura
Siga @florianonews e curta o FlorianoNews