Pesquisa indica que há espaço para reajuste de salário acima da inflação

25/08/2019 10h11

Pesquisa indica que há espaço para reajuste de salário acima da inflação.
A queda da inflação teve como resultado um ganho salarial para trabalhadores que tiveram negociações fechadas em julho de 2019. Acordos e convenções concluídos no mês tiveram aumento real de 0,7%, o maior desde junho de 2018, quando foi de 1%, segundo o Salariômetro da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas).

"A inflação acumulada caiu –foi para 3,3% em julho. Um mês antes tinha sido 4,8%, e o reajuste nominal foi até alto, de 5%, mas, com a inflação, o reajuste real foi de 0,2%. Em julho, o ganho real subiu: foi 0,7%",
disse o coordenador do Salariômetro, Hélio Zylberstajn, professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP.

A partir de julho, a influência da greve de caminhoneiros no cálculo da inflação acumulada em 12 meses começou a diminuir, o que ajuda a explicar a queda da taxa.

Com a projeção do INPC abaixo de 4,0%, há espaço para reajustes reais até janeiro de 2020, segundo o Salariômetro.

Para o coordenador de relações sindicais do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), José Silvestre, o crescimento é um sinal positivo.

"Mas é dado sobretudo pela inflação, não pela melhoria de outros indicadores."


Ele diz que o reajuste salarial, em média, costuma ser maior no segundo semestre. "O ganho real deve se manter, porque categorias tradicionais têm negociações no período."
A queda da inflação teve como resultado um ganho salarial para trabalhadores que tiveram negociações fechadas em julho de 2019. Acordos e convenções concluídos no mês tiveram aumento real de 0,7%, o maior desde junho de 2018, quando foi de 1%, segundo o Salariômetro da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas).

"A inflação acumulada caiu –foi para 3,3% em julho. Um mês antes tinha sido 4,8%, e o reajuste nominal foi até alto, de 5%, mas, com a inflação, o reajuste real foi de 0,2%. Em julho, o ganho real subiu: foi 0,7%",
disse o coordenador do Salariômetro, Hélio Zylberstajn, professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP.

A partir de julho, a influência da greve de caminhoneiros no cálculo da inflação acumulada em 12 meses começou a diminuir, o que ajuda a explicar a queda da taxa.

Com a projeção do INPC abaixo de 4,0%, há espaço para reajustes reais até janeiro de 2020, segundo o Salariômetro.

Para o coordenador de relações sindicais do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), José Silvestre, o crescimento é um sinal positivo.

"Mas é dado sobretudo pela inflação, não pela melhoria de outros indicadores."


Ele diz que o reajuste salarial, em média, costuma ser maior no segundo semestre. "O ganho real deve se manter, porque categorias tradicionais têm negociações no período."

Fonte Folhapress

Confira as últimas notícias sobre Geral: florianonews.com/geral
Siga @florianonews e curta o FlorianoNews

Tópicos: reajuste, real, ganho