Madeira ilegal apreendida cobriria 700 casas; lucro chegava a R$ 5 milh√Ķes

09/10/2019 07h38

Madeira ilegal apreendida cobriria 700 casas; lucro chegava a R$ 5 milh√Ķes.

De 1° de janeiro até dia 7 de outubro, foram apreendidos 1.147 metros cúbicos de madeira, o suficiente para cobrir mais de 700 casas populares.

“Esses crimes cometidos pelos condutores geralmente vêm seguidos de outros como excesso de peso, infração de trânsito e muitas vezes documentos falsos, o que muitas vezes é configurado pela apresentação desses documentos com indícios de falsificação”,
explicou o inspetor da PRF, Alexandro Lima.

A reincidência do transporte de madeira ilegal demonstra que as rodovias do Piauí fazem parte da rota do comércio ilegal do produto, que chama atenção pela lucratividade em cima da extração criminosa.

“O que chama atenção também é o lucro dessas empresas com relação ao crime ambiental em si tendo em vista que as empresas chegam a ter lucros superiores a R$ 5 milhões (por) mês”, informa Alexandro.

De acordo com a PRF, a maçaranduba é o vegetal cuja madeira tem o maior valor de mercado e normalmente a carga é transportada com excesso de peso.

As madeiras apreendidas são levadas para a sede da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Semar) e ou para a superintendência do Ibama para doações com fins beneficentes.

A polícia Federal vai investigar as doações de madeiras apreendidas pelo Ibama no Piauí, nos últimos anos. O novo superintendente do órgão, San Martin Linhares, foi à PF e denunciou a existência de indícios de irregularidades na Comissão de Avaliação e Destinação de Bens Apreendidos.


De 1° de janeiro até dia 7 de outubro, foram apreendidos 1.147 metros cúbicos de madeira, o suficiente para cobrir mais de 700 casas populares.

“Esses crimes cometidos pelos condutores geralmente vêm seguidos de outros como excesso de peso, infração de trânsito e muitas vezes documentos falsos, o que muitas vezes é configurado pela apresentação desses documentos com indícios de falsificação”,
explicou o inspetor da PRF, Alexandro Lima.

A reincidência do transporte de madeira ilegal demonstra que as rodovias do Piauí fazem parte da rota do comércio ilegal do produto, que chama atenção pela lucratividade em cima da extração criminosa.

“O que chama atenção também é o lucro dessas empresas com relação ao crime ambiental em si tendo em vista que as empresas chegam a ter lucros superiores a R$ 5 milhões (por) mês”, informa Alexandro.

De acordo com a PRF, a maçaranduba é o vegetal cuja madeira tem o maior valor de mercado e normalmente a carga é transportada com excesso de peso.

As madeiras apreendidas são levadas para a sede da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Semar) e ou para a superintendência do Ibama para doações com fins beneficentes.

A polícia Federal vai investigar as doações de madeiras apreendidas pelo Ibama no Piauí, nos últimos anos. O novo superintendente do órgão, San Martin Linhares, foi à PF e denunciou a existência de indícios de irregularidades na Comissão de Avaliação e Destinação de Bens Apreendidos.


Fonte Jornal do Piauí

Confira as últimas notícias sobre Piau√≠: florianonews.com/piaui
Siga @florianonews e curta o FlorianoNews

Tópicos: pol√≠cia, madeira, ibama