Teresina tem 2 pontos mortais em rodovias federais, aponta levantamento

23/09/2015 08h32


Fonte Meio Norte

Teresina possui dois trechos entre os 20 mais críticos de rodovias federais do Brasil. Esses pontos possuem o maior número de mortes, de acidentes e de acidentes graves.

Em 2014, o trecho que fica do km Zero ao Km Dez, da rodovia BR-316, na área urbana de Teresina, registrou 473 acidentes; sete mortes; 66 acidentes graves, correspondentes a 0,28% entre os acidentes do país; de 0,09% das mortes ocorridas no Brasil e 0,26% dos acidentes graves.

Imagem: DivulgaçãoClique para ampliarTeresina tem 2 pontos mortais em rodovias federais.(Imagem:Divulgação)Teresina tem 2 pontos mortais em rodovias federais.

Outro trecho fica entre os Km 340 e Km 350 da rodovia BR-343. No ano passado, também na área urbana de Teresina, foram registrados 511 acidentes; cinco mortes; e 51 acidentes graves, o que corresponde a 0,30% dos acidentes; 0,06% das mortes e a 0,20% dos acidentes graves.

Os dados são de pesquisa sobre os Custos dos Acidentes de Trânsito no Brasil, que será divulgada nesta quarta-feira (23) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

A pesquisa mostra que, no Piauí, 228 pessoas morreram em rodovias federais em 2014. Conforme o Ipea, no Piauí existem 2.761,4 quilômetros de rodovias federais no Estado, onde ocorreram 2.727 acidentes. É como tivesse ocorrido um acidente a cada quilômetro de rodovia federal no Piauí. Os quilômetros de rodovias federais no Piauí correspondem a 3,9% em todo o Brasil; os acidentes corresponderam a 1,6% e as mortes corresponderam a 2,8% das ocorridas nas estradas federais de todo o Brasil.

Aproximadamente oito mil pessoas perderam a vida e cerca de 100 mil ficaram feridos em 169 mil acidentes registrados nas estradas em 2014 no país. Nos últimos dez anos, o Brasil registrou aumento de 50,3% no número acidentes em rodovias federais. As mortes cresceram 34,5% e a quantidade de feridos, 50%. Os dados estão no relatório Acidentes de Trânsito nas rodovias federais brasileiras, produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, com base nos dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Os cerca de 170 mil acidentes de trânsito ocorridos nas rodovias federais brasileiras em 2014 geraram um custo para a sociedade de R$ 12,3 bilhões. Destes, 64,7% estavam associados às vitimas dos acidentes, como cuidados com a saúde e perda de produção devido às lesões ou morte, e 34,7% aos veículos, como danos materiais e perda de cargas, além dos procedimentos de remoção dos veículos acidentados.

Estima-se que o custo dos acidentes nas rodovias estaduais e municipais, em 2014, teria sido algo entre R$ 24,8 bilhões e R$ 30,5 bilhões. Em termos globais, pode-se estimar em cerca de R$ 40 bilhões de reais por ano o custo que a sociedade tem com os acidentes de trânsito em todas as rodovias brasileiras Os acidentes de transporte terrestre no Brasil matam aproximadamente 43 mil pessoas por ano, segundo os dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus), do Ministério da Saúde (MS), representando uma das principais causas de morte no país. Os acidentes nas rodovias federais respondem por cerca de 20% dessas mortes (8.227 mortes em 2014), com cerca de 26 mil feridos graves por ano, com fortes impactos sobre o orçamento público e a renda das famílias atingidas.

A situação dos acidentes de trânsito tende a se agravar ainda mais neste contexto de franca expansão da frota de veículos automotores que o país está vivendo desde o final do século passado.

Para ler mais notícias do FlorianoNews, clique em florianonews.com/noticias. Siga também o FlorianoNews no Twitter e no Facebook